domingo, 30 de setembro de 2012

A opinião dos outros...


Você se importa com a opinião que os outros têm a seu respeito?
Se a sua resposta for não, então você é uma pessoa que sabe de si mesma. Que se conhece. É autossuficiente.
No entanto, se a opinião dos outros sobre você é decisiva, vamos pensar um pouco sobre o quanto isso pode lhe ser prejudicial.
O primeiro sintoma de alguém que está sob o jugo da opinião alheia, é a dependência de elogios.
Se ninguém disser que o seu cabelo, a sua roupa, ou outro detalhe qualquer está bem, a pessoa não se sente segura.
Se alguém lhe diz que está com aparência de doente, a pessoa se sente amolentada e logo procura um médico.
Se ouve alguém dizer que está gorda, desesperadamente tenta diminuir o peso.
Mas se disserem que é bonita, inteligente, esperta, ela também acredita.
Se lhe dizem que é feia, a pessoa se desespera. Principalmente se não tem condições de reparar a suposta feiura com cirurgia plástica.
Existem pessoas que ficam o tempo todo à procura de alguém que lhes diga algo que as faça se sentir seguras, mesmo que esse alguém não as conheça bem.
Há pessoas que dependem da opinião alheia e se infelicitam na tentativa de agradar sempre.
São mulheres que aumentam ou diminuem seios, lábios, bochechas, nariz, para agradar seu pretendido. Como se isso fosse garantir o seu amor.
São homens que fazem implante de cabelo, modificam dentes, queixo, nariz, malham até à exaustão, para impressionar a sua eleita.
E, quando essas pessoas, inseguras e dependentes, não encontram ninguém que as elogie, que lhes diga o que desejam ouvir, se infelicitam e, não raro, caem em depressão.
Não se dão conta de que a opinião dos outros é superficial e leviana, pois geralmente não conhecem as pessoas das quais falam.
Para que você seja realmente feliz, aprenda a se conhecer e a se aceitar como você é.
Não acredite em tudo o que falam a seu respeito. Não se deixe impressionar com falsos elogios, nem com críticas infundadas.
Seja você. Descubra o que tem de bom em sua intimidade e valorize-se. Ninguém melhor do que você para saber o que se passa na sua alma.
Procure estar bem com a sua consciência, sem neurose de querer agradar os outros, pois os outros nem sempre dão valor aos seus esforços.
A meditação é excelente ferramenta de autoajuda. Mergulhar nas profundezas da própria alma em busca de si mesmo é arte que merece atenção e dedicação.
Quando a pessoa se conhece, podem emitir dela as opiniões mais contraditórias que ela não se deixa impressionar, nem iludir, pois sabe da sua realidade.
Nesses dias em que as mídias tentam criar protótipos de beleza física, e enaltecer a juventude do corpo como único bem que merece investimento, não se deixe iludir.
Você vale pelo que é, e não pelo que tem ou aparenta ser. A verdadeira beleza é a da alma. A eterna juventude é atributo do Espírito imortal.
O importante mesmo é que você se goste. Que você se respeite. Que se cuide e se sinta bem.
A opinião de alguém só deve fazer sentido e ter peso, se esse alguém estiver realmente interessado na sua felicidade e no seu bem-estar.

*   *   *

Nenhuma opinião que emitam sobre você, deve provocar tristeza ou alegria em demasia.
Os elogios levianos não acrescentam nada além do que você é, e as críticas negativas não tornarão você pior.
Busque o autoconhecimento e aprenda a desenvolver a autoestima.
Mas lembre-se: seja exigente para consigo, e indulgente para com os outros.
Eis uma fórmula segura para que você encontre a autoconfiança e a segurança necessárias ao seu bem-estar efetivo.
E jamais esqueça que a verdadeira elegância é a do caráter, que procede da alma justa e nobre.
Pense nisso, e liberte-se do jugo da opinião dos outros.


Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 10, ed. Fep.
Em 01.06.2009.

sábado, 29 de setembro de 2012

Bons sonhos...


SOL INTERIOR


Sempre que tendes condições para isso, pensai em fazer este exercício: fechai os olhos, concentrai-vos e procurai aproximar-vos do centro divino em vós mesmos... 
 
Pouco a pouco, sentireis que os pensamentos, os sentimentos e os desejos que não vibram em harmonia são trazidos até esse centro em torno do qual devem gravitar.

Vós sofreis por não conseguirdes dominar a vossa vida psíquica e gostaríeis de vos sentir como um mundo organizado: esforçai-vos por fazer voltar esses elementos díspares que partem em todas as direções e, tal como os planetas giram em torno do Sol, levai-os a girar em torno do vosso sol interior.

Nesse momento, sim, pode-se falar de ordem, de equilíbrio, de harmonia, de Reino de Deus. 
 
Como existe um centro, um sol, um núcleo, todos os outros elementos encontram o seu lugar, a trajetória a seguir, e fazem-no se chocarem uns com os outros.

  
(Omraam Mikhaël Aïvanhov)

Experiência da Paz



A paz que estamos buscando não é a paz que desmorona assim que há dificuldade ou caos. 
 
Se estamos buscando paz interior, paz global ou uma combinação de ambas, o modo para vivenciar isso é construir a partir da fundação da abertura incondicional para tudo o que surgir. 
 
A paz não é uma experiência livre de desafios, livre de aspereza e maciez; é uma experiência que é expansiva o suficiente para incluir tudo que surgir sem nos sentirmos ameaçados.
 
 
(Pema Chodron)

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

AMIZADES E AFEIÇÕES


“766. A vida social está em a Natureza?”
“Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação.”
O Livro dos Espíritos


           

 Não apenas a simpatia como ingrediente único para facultar que os afagos da amizade te adornem e enlevem o espírito.

            Muito fácil ganhar como perder amigos. Quiçá difícil se apresente a tarefa de sustentar amizades, ao invés de somente consegui-las.

            O magnetismo pessoal é fator importante para promover a aquisição de afetos. Todavia, se o comportamento pessoal não se padroniza e sustenta em diretrizes de enobrecimento e lealdade, as amizades e afeições não raro se convertem em pesada canga, desagradável parceira que culmina em clima de animosidade, gerando futuros adversários.

            Nesse particular existem pequenos fatores que não podem nem devem ser relegados a plano secundário, a fim de que sejam mantidas as afeições.

            A planta não irrigada sucumbe sob a canícula.

            O grão não sepulto morre.

            O lume sem combustível se apaga.

            A máquina sem graxa arrebenta-se.

            Assim, também, a amizade que sem o sustento da cortesia e da gentileza se estiola.
--- ¤ ---
            Se desejas preservar teus amigos não creias consegui-lo mediante um curso de etiqueta ou de boas maneiras, com que muitas vezes a aparência estudada, artificial, substitui ou esconde os sentimentos reais. Os impositivos evangélicos que te apliques, ser-te-ão admiráveis técnicas de autenticidade, que funcionam como recurso valioso para a sustentação do bem em qualquer lugar, em toda a situação, com qualquer pessoa.


A afabilidade, a doçura, a gentileza de alguém, aparentemente destituído de simpatia conseguem propiciar a presença de amigos, retê-los e torná-los afetos puros para sempre.

            Amizades se desagregam ou se desgastam exatamente após articuladas, no período em que os consórcios fraternos se descuidam de mantê-las.

            E isso normalmente ocorre, como consequência de atitudes que se podem evitar:

  • o olhar agressivo;
  • a palavra ríspida;
  • o atendimento hostil ou negligente;
  • a lamentação constante;
  • a irreverência acompanhada pela frivolidade;
  • a irritação contínua;
  • a queixa contumaz;
  • o pessimismo vinagroso...
            Os amigos são companheiros que também têm problemas. Por essa razão se acercam de ti.

            Usa, no trato com eles, quanto possível, a bondade e a atenção, a fim de que, um dia, conforme Jesus enunciou: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor; mas, tenho-vos chamado amigos, porque vos revelei tudo quanto ouvi de meu Pai”, tornando-te legítimo amigo de todos, consequentemente fruindo as bênçãos da amizade e da afeição puras.



Joanna de Ângelis

FRANCO, Divaldo P. "Leis Morais da Vida". Pelo Espírito Joanna de Ângelis. 10.ed. Salvador, BA: LEAL, 2000. Capítulo 33.

Os Modos do Pensamento, segundo as Tradições Espirituais



Os Modos do Pensamento, Segundo as Tradições Espirituais


Nós somos o que pensamos.
Muito mais do que imaginamos.
Muito mais do que supomos.
Mais ainda do que sentimos.

Se pensarmos melhor, melhor seremos.
Isso é lei básica do pensamento.
A energia segue automaticamente o que pensamos.
Logo, melhora as energias quem pensa melhor.

Quem pensa em melhorar, melhora só de pensar.
O pensamento é o artífice do destino.
Cada pensamento é um sulco na mente,
Por onde correm as energias e os sentimentos.

Cada escolha, modos do pensamento.
Cada ato, escolha do pensamento.
Cada destino, modos de escolha.
Cada um é o que pensa!

Quem pensa, escolhe; Quem semeia, colhe.
Quem planta cerejas, colherá cerejas.
Quem semeia vento, colherá tempestade.
Quem semeia luz, já melhora, só por semear.

Cada ato é pensamento exteriorizado.
Cada palavra é a sonorização do pensamento.
Cada gesto é movimento do pensamento.
Cada energia manifestada, modos do pensamento.

Pensamos, logo existimos.
Ou, melhor, existimos porque pensamos.
Ou, seria mais acertado dizer?:
"Pensamos, logo complicamos!"

O pensamento vai e vem pelos sulcos...
Sua natureza é o movimento.
E esse é o seu tormento: a agitação.
O remédio: a meditação.

* * *

Ao longo dos milênios, os sábios espirituais vêm falando aos povos sobre a necessidade da educação dos pensamentos e emoções. Cada um deles, de acordo com o contexto de sua época e cultura, falou as mesmas verdades.

Alguns deles foram direto ao ensinamento, outros escolheram o caminho das parábolas, e outros mais ensinavam pelo olhar silencioso e a consciência expandida em outros planos invisíveis ao olhar comum.

Seja pelos caminhos iniciáticos do antigo Egito ou da Grécia, ou pelos caminhos iogues ou taoístas, ou ainda, pelos ensinamentos budistas ou sufis, surge sempre a ênfase na educação do pensamento.

Seja ensinado por Jesus ou Buda, Krishna ou Mahavira, Maomé ou Ghandi, o certo é que a melhoria dos pensamentos é um dos fundamentos básicos para qualquer ser humano interessado em progredir na senda espiritual.

Baseado nisso, vamos olhar algumas dicas sobre os modos do pensamento, extraídas de várias fontes espirituais.

Hermetismo: PENSE NA LUZ! SEJA LUZ! O TODO ESTÁ EM TUDO! RÁ!
Cristianismo: PENSE NO BEM DE TODOS! PRATIQUE O AMOR! AMÉM!
Budismo: PENSE NA PAZ! SEJA UM CANAL DE COMPAIXÃO! OM MANI PADME HUM!
Hinduísmo: PENSE NO DIVINO QUE VOCÊ É! OM... OM... OM!
Taoísmo: PENSE NO TAO! SEJA SERENO! DANÇE COM O CHI!
Sufismo: PENSE LEVE! RODOPIE COM A LUZ! FESTEJE A VIDA!
Islamismo: PENSE FIRME NO DIVINO! ELE É LUZ SEM IGUAL!

* * *

Lançando um olhar universalista sobre esses ensinamentos espirituais, nota-se, claramente, que se destaca o toque consciencial de pensar em valores maiores e baseados na LUZ. Talvez o modo do pensamento mais adequado aos nossos esforços seja esse:

PENSAR LUMINOSAMENTE!

É óbvio que é mais fácil falar ou escrever sobre isso, do que praticar e melhorar o clima mental, passo a passo, na prática do viver diário, sempre cheio de coisas para complicar essa boa intenção. Mas, é certo que, mesmo só pensando nisso inicialmente, já melhoramos só de pensar. Pelo menos, é melhor do que nem pensar nisso.

Ou seja, pensar nisso já é LUZ!


(Estes escritos são dedicados a dois sábios cheios de simplicidade, compaixão e bom humor: o Swami Sivananda e o mestre Omraam Mikhael Aïvanhov. Deixo aqui a minha gratidão e admiração por esses dois mestres da consciência. Pensar neles é LUZ!)


PAZ E LUZ!

- Wagner Borges -
"Texto do projetor-pesquisador, sensitivo espiritualista, conferencista, e escritor Wagner Borges"

Fonte: IPPB

Segue teu caminho...


Segue teu caminho,
um caminho de paz e de crescimento.
Segue teu caminho para lembrar-te de ti,
para lembrar-te das tuas características
divinas e ensina o teu caminho
para que tu mesmo não o esqueças.
Dá a abundância das cores que trazes
dentro de ti, a alegria que vem do teu olhar,
a calmaria que vem do teu coração...
Dá o teu conhecer, dá a tua dança,
dá a tua força de vontade,
ensinando assim aos teus irmãos a crescerem.
Não compartilhes da miséria,
para que não te sintas pequeno.
Dá luz aos que só vislumbram escuridão,
dá água aos que têm sede,
dá calor humano àqueles que sentem frio,
dá compreensão e esperança aos que
acreditam estarem perdidos...
E desperta a alegria aos que estão tristes,
para que sejas cada vez mais presente
em tua plenitude, em tua luz, em tua sabedoria, em tua fé 
Naquele que está a guiar cada passo teu.
Lembra que tudo aquilo que dás aos teus,
é amplamente reforçado em teu ser.


(Autoria Desconhecida)

domingo, 23 de setembro de 2012


DESEJO...


Que seja esse novo dia
uma nova oportunidade
de crescimento e evolução!

Que haja paz e harmonia,
para todos os seres, de todo o Universo,
sem nenhuma exceção!

Que haja gratidão nos corações
e mansidão em todas as vozes!
Que haja perdão em todas as mágoas e
boa vontade para com todos!

Que haja clareza em todas as
mentes e equanimidade
em todos os questionamentos!

Que haja calor em todas as mãos
e ternura em todos os afagos!
Que haja doçura em todas as palavras
e suavidade em todos os toques...

Que haja a busca pela sabedoria
e muita humildade ao conquistá-la...
Que os passos sejam firmes e seguros
e o sorriso, uma oferta de amizade!


(Poesia de Zélia Nicolodi)

Vida Feliz



Guia-te sempre pela decisão que produza menor soma de prejuízos a ti mesmo e ao teu próximo.

Antes de assumires compromissos, reflexiona a respeito dos possíveis resultados, e mais facilmente saberás eleger aqueles que te proporcionarão melhores frutos para o futuro.

Sempre que algumas vantagens para ti ofereçam danos para outrem, recusa-as, porquanto ninguém poderá ser feliz erguendo a sua alegria sobre o infortúnio do seu próximo.

Isto equivale a dizer: "Não faças ao outro aquilo que não gostarias que ele te fizesse."

O que hoje percas a favor de alguém, amanhã receberás sem prejuízo de ninguém.



Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco
Livro: Vida Feliz

Equilíbrio




       Caridade é o amor em ação, aprendemos com o apóstolo Paulo. Contudo, em nome da caridade, por vezes, cometemos algumas falhas. Por isso, é sempre bom considerar:

        que é muito bom dar pão ao faminto. No entanto, não devemos esquecer a família. Aqueles que se encontram sob nossa guarda, nos merecem toda a atenção e cuidados;

        distribuir o agasalho, cobrindo corpos desnudos, é gesto cristão.  Mas em nome dessa ação, não podemos complicar a própria vida, criando problemas para nós e para os nossos afetos;

        é sinal de caridade socorrer o doente, providenciando-lhe o remédio, o médico, o hospital. Auxiliar aquele que tem dificuldades de tratar com a burocracia para conseguir um tratamento prolongado ou um internamento que se faz urgente. Entretanto, não podemos esquecer de tratar de nossa própria saúde, consultar o médico quando sintamos algo que nos desequilibra a organização física, submeter-nos a exames, tratamentos especializados, eventual cirurgia;

        é excelente ajudar na instituição beneficente, doando horas a favor do próximo. No entanto, não podemos esquecer que a cada um de nós compete trabalhar para prover a própria subsistência e da família.

        Quem não trabalha, se torna um peso que a sociedade deve arcar. A sociedade pode ser a parentela corporal, amigos ou instituições.

        Se desejamos servir, lembremo-nos antes de tudo que a Divindade não nos pede a totalidade das horas, mas aquelas que possamos dispor e que são as do nosso descanso; do nosso lazer, sem prejuízo das que precisamos permanecer nas lidas profissionais, garantindo nosso sustento;

        é importante direcionar recursos aos necessitados, colaborando com indivíduos ou instituições de beneficência.

        O que não devemos esquecer é de saldar as próprias dívidas.  Se assim não procedermos, estaremos prejudicando aos que trabalharam para nos ceder suas mercadorias ou seus serviços, e aguardam que cumpramos com nossos compromissos a fim de se sustentarem;

        importante visitar o lar infeliz pela viuvez, pela orfandade ou pela miséria, sem esquecer de cuidar do próprio lar.

        Dessa forma, amparemos o desorientado, mas conservemos a própria harmonia, não nos permitindo a perturbação por não conseguir resolver problemas alheios.

        Colaboremos na assistência social, mas respeitemos os próprios compromissos familiares, afetivos,  profissionais.

        Façamos a caridade, mas não esqueçamos as próprias obrigações, quaisquer que elas sejam.

        Lembremos que o bem é fator de equilíbrio entre o amor ao próximo e o amor a si mesmo.




        Comecemos em nossa família a obra da fraternidade geral.

        Organizemos a nossa família, confiantes, entregando-nos a Deus e trabalhemos no bem, com equilíbrio, porque, em última análise, de Deus tudo procede, como atento Pai que é de todos nós.





Redação do Momento Espírita com base na mensagem Fator de equilíbrio, pelo 
 Espírito André Luiz, psicografia de  Antonio Baduy Filho, em 11.04.1999,
no Sanatório José Dias Machado e no verbete Família do livro
Repositório de sabedoria,v. 1,  pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 09.10.2008.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012



Posturas diante da vida

Caminha um pouco ao ar livre.
Tranqüilamente, redescobre a imaginação de voar.
Evita os lugares movimentados, para o teu passeio, e aspira o 
oxigênio balsâmico da floresta, da montanha, do mar...
Refaze conceitos, acalma-te e abençoa a vida 
na forma como te apresente.
A tua atual existência é rica do que necessitas para ser feliz.


Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco
Livro: Vida Feliz

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

AMIGOS...


SAÚDE


S A Ú D E

 Se o homem compreendesse que a saúde do corpo é reflexo da harmonia espiritual, e se pudesse abranger a complexidade dos fenômenos íntimos que o aguardam além da morte, certo se consagraria à vida simples, com o trabalho ativo e a fraternidade legitima por normas de verdadeira felicidade.
A escravização aos sintomas e aos remédios não passa, na maioria das ocasiões, de fruto dos desequilíbrios a que nos impusemos.
Quanto maior o desvio, mais dispendioso o esforço de recuperação. Assim, também, cresce o número das enfermidades à proporção que se nos multiplicam os desacertos, e, exacerbadas as doenças, tornam-se cada vez mais difíceis e complicados os processos de tratamento, levando milhões de criaturas a se algemarem a preocupações e atividades que adiam, indefinidamente, a verdadeira obra de educação que o mundo necessita.
O homem é inquilino da carne, com obrigações naturais de preservação e defesa do patrimônio que temporariamente usufrui.
Não se compreende que uma pessoa instruída amontoe lixo e lama, ou crie insetos patogênicos no próprio âmbito doméstico...
Existe, no entanto, muita gente de boa leitura e de hábitos respeitáveis que permite a entrada em si, de minuto a minuto, de tóxicos variados, como a cólera e a irritação, dando pasto a pensamentos aviltantes cujos efeitos por muito tempo se fazem sentir na vida diária.*
Sirvamo-nos deste símbolo, para estender-nos em mais simples considerações. Se sabemos imprescindível a higiene interna da casa, por que não movermos o espanador da atividade benéfica, desmanchando as teias escuras das ideias tristes? Por que não fazer ato salutar do uso da água pura, em vasta escala, beneficiando os mais íntimos escaninhos do edifício celular e atendendo igualmente ao banho diário, no escrúpulo do asseio? Se nos desvelamos em conservar o domicílio suficientemente arejado, por que não respirar, a longos haustos, o oxigênio tão puro quanto possível, de modo a facilitar a vida dos pulmões?
Quem construa uma habitação, cogita, não somente bases sólidas, que a suportem, senão da orientação, de tal jeito que a luz do sol a envolva e penetre profundamente; jamais voltaria esse alguém a situar o ambiente doméstico numa caverna de troglodita.
Analogamente, deve o homem assentar fundamentos morais seguros, que lhe garantam a verdadeira felicidade, colocando-se, no quadro social onde vive, de frente voltada para os ideais luminosos e santificantes, de modo que a divina inspiração lhe inunde as profundezas da alma.
Frequentemente a moradia das pessoas cuidadosas e educadas se exorna, em seu derredor, de plantas e de flores que encantam o transeunte, convidando-o à contemplação repousante e aos bons pensamentos.
Por que não multiplicar em torno de nós os gestos de gentileza e de solidariedade, que simbolizam as flores do coração?
Ninguém é tentado a descansar ou a edificar-se em recintos empedrados ou espinhosos.
Assim também, a palavra agradável que proferimos ou recebemos, as manifestações de simpatia, as atitudes fraternais e a compreensão sempre disposta a auxiliar, constituem recursos medicamentosos dos mais eficientes, porque a saúde, na essência, é harmonia de vibrações.
Quando nossa alma se encontra realmente tranqüila, o veículo que lhe obedece está em paz.
A mente aflita despede raios de energia desordenada que se precipitam sobre os órgãos à guisa de dardos ferinos, de consequências deploráveis para as funções orgânicas.
O homem comumente apenas registra efeitos, sem consignar as causas profundas.

E que dizer das paixões insopitadas, das enormes crises de ódio e de ciúme, dos martírios ocultos do remorso, que rasgam feridas e semeiam padecimentos inomináveis na delicada constituição da alma?
Que dizer relativamente à hórrida multidão dos pensamentos agressivos duma razão desorientada, os quais tanto malefício trazem, não só ao indivíduo, mas, igualmente, aos que se achem com ele sintonizados?
O nosso lar de curas na vida espiritual vive repleto de enfermos desencarnados. Desencarnados embora, revelam psicoses de trato difícil.
A gravitação é lei universal, e o pensamento ainda é matéria em fase diferentes daquelas que nos são habituais. Quando o centro de interesses da alma permanece na Terra, embalde se lhe indicará o caminha das alturas.
Caracteriza-se a mente também, por peso específico, e é na própria massa do Planeta que o homem enrodilhado em pensamentos inferiores se demorará, depois da morte, no serviço de purificação.
Os instrutores religiosos, mais do que doutrinadores, são médicos do espírito que raramente ouvimos com a devida atenção, enquanto na carne.
Os ensinamentos da fé constituem receituário permanente para a cura positiva das antigas enfermidades que acompanham a alma, século após século.
Todos os sentimentos que nos ponham em desarmonia com o ambiente, onde fomos chamados a viver, geram emoções que desorganizam, não só as colônias celulares do corpo físico, mas também o tecido sutil da alma, agravando a anarquia do psiquismo.
Qualquer criatura, conscientemente ou não, mobiliza as faculdades magnéticas que lhe são peculiares nas atividades do meio em que vive. Atrai e repele. Do modo pelo qual se utiliza de semelhantes forças depende, em grande parte, a conservação dos fatores naturais de saúde.

O espírito rebelde ou impulsivo que foge às necessidades de adaptação, assemelha-se a um molinete elétrico, armado de pontas, cuja energia carrega e, simultaneamente, repele as moléculas do ar ambiente; assim, esse espírito cria em torno de si um campo magnético sem dúvida adverso, o qual, a seu turno, há de repeli-lo, precipitando-o numa “roda-viva” por ele mesmo forjada.
Transformando-se em núcleo de correntes irregulares, a mente perturbada emite linhas de força, que interferirão como tóxicos invisíveis sobre o sistema endocrínico, comprometendo-se a normalidade das funções.
Mas não são somente a hipófise, a tireóide ou as cápsulas supra-renais as únicas vítimas da viciação. Múltiplas doenças surgem para a infelicidade do espírito desavisado que as invoca. Moléstias como o aborto; a encefalite letárgica, a esplenite, a apoplexia cerebral, a loucura, a nevralgia, a tuberculose, a coréia, a epilepsia, a paralisia, as afecções do coração, as úlceras gástricas e as duodenais, a cirrose, a icterícia, a histeria e todas as formas de câncer podem nascer dos desequilíbrios do pensamento.
Em muitos casos, são inúteis quaisquer recursos medicamentosos, porquanto só a modificação do movimento vibratório da mente, à base de ondas simpáticas, poderá oferecer ao doente as necessárias condições de harmonia.
Geralmente, a desencarnação prematura é o resultado do longo duelo vivido pela alma invigilante; esses conflitos prosseguem na profundeza da consciência, dificultando a ligação entre a alma e os poderes restauradores que governam a vida.
A extrema vibratilidade da alma produz estados de hipersensibilidade, os quais, em muitas circunstâncias, se fazem seguir de verdadeiros desastres organopsíquicos.
O pensamento, qualquer que seja a sua natureza, é uma energia, tendo, conseguintemente, seus efeitos.
Se o homem cultivasse a cautela, selecionando inclinações e reconhecendo o caráter positivo das leis morais, outras condições, menos dolorosas e mais elevadas, lhe presidiriam à evolução.
É imprescindível, porém, que a experiência nos instrua individualmente. Cada qual em seu roteiro, em sua prova, em sua lição.
Com o tempo aprenderemos que se pode considerar o corpo como o “prolongamento do espírito”, e aceitaremos no Evangelho do Cristo o melhor tratado de imunologia contra todas as espécies de enfermidade.
Até alcançarmos, no entanto, esse período áureo da existência na Terra, continuemos estudando, trabalhando e esperando...
(pelo Espírito Joaquim Murtinho)
Do livro "Falando à Terra", Médium: Francisco Cândido Xavier/Espíritos Diversos

CARROÇA VAZIA...


Alugo Sonhos



Alugo os meus sonhos
Eles já me levaram ao paraíso
E me derrubaram ao chão
Me fizeram viajar
E a vida largar.



Alguns deles dão uma linda vista para o mar
Outros para as montanhas mais altas
Podem levar ao topo do mundo
Ouvindo sinos a tocar
No caminho vendo
As mais belas orquídeas.



Alugo sonhos agora sem utilidade
Alugo para alguém que queira vivê-los
Alguém que possa usá-los
Para ser eterno...
Eu perdi a chance
Que eles me deram.



Alugo sonhos com vaga na garagem
Play Ground, Roda Gigante, Bung Jump
Ampla sala de música
Que toca ao simples fechar de olhos
Todos os ambientes
Estão sempre
Cuidadosamente perfumados.



Alugo sonhos com janelas amplas
Que a tudo ventilam
Junto estarão indo
Pedaços de vida e mudas de fé
Que se bem plantados e cuidados
Germinarão e darão flores com perfume
Para alegrar o seu destino



Também posso vender estes sonhos
Que me fizeram
Nascer, viver e voar
Fizeram-me ver a luz
E me esconder às sombras
E agora não sei
O que fazer com eles.



Como paga pela troca
Só quero ver alguém feliz com eles
Já que eu não pude.
Quem sabe alguém
Melhor saiba sonhá-los
E possa realmente
Ser feliz com meus sonhos!


- Maurício Soares -

Benditas sejam todas as coisas!



Benditas sejam todas as coisas
do céu, da terra e do mar!

Bendito sejam todos os seres
sem nenhuma exceção!
Aqueles que nos afagaram,
e também que nos desprezaram

Bendito sejam todos os corpos,
ossos, músculos, pele...
Ilusão que dá vida à nossa
expressão.

Benditas sejam todas as mãos
que afagam, apoiam e constroem
e perdoadas sejam
as mãos que destroem.

Bendita seja a fala
enquanto construtiva
e solidária

Bendito seja o olhar amoroso
mas perdoado seja
o olhar maldoso do ignorante

Bendita seja essa vida
que recebemos de graça,
como uma nova chance
de crescimento e evolução...

... e bendito seja esse coração,
onde habita a harmonia,
o equilíbrio perfeito,
o amor e a compaixão!


(Zélia Nicolodi)

terça-feira, 18 de setembro de 2012


Que roupa veste a alma?
A humildade dá um brilho sem medida
e a alegria espalha o seu perfume de paz!

(Paulo Roberto Gaefke)

Eu tenho Sonhos...



Sonho com a paz...
sonho com a felicidade...
sentir muito amor...
amor incondicional...
poder ajudar...
todos que precisam...
ficar junto de...
minha família...
sempre ter saúde...
física e mental...
ter compreensão da vida...
e compaixão com todos...
ter estabilidade...
e equilíbrio...
jamais sentir medos...
sentir muita alegria.
Vou realizar todos...
nesta vida.
Tenho coragem.
Amo a vida.

(Rufina Lima Mesquita)

domingo, 16 de setembro de 2012

Nossos Irmãos menores, os Animais...




Não maltrate os animais!
São também filhos de Deus e irmãos nosso menores, 
que não adquiriram a faculdade do raciocínio abstrato. 
Mas são amigos, que precisam da nossa ajuda e carinho...

Alimente-os bem.Trate-os em suas enfermidades.
Faça com essas criaturas de Deus, que dependem de você,
o mesmo que você gosta de receber 
dos Anjos do Bem...





DAI MAIS...




"Faróis iluminam a escuridão dos mares, dia e noite sem cessar... são luzes solitárias e não esmorecem, atuando principalmente nos dias de grandes tempestades.

Assim é na vida, existem pessoas que cruzam nossos caminhos e agem como verdadeiros faróis que nos transmitem muita serenidade e a certeza que podemos chegar a ter paz um dia.

Não esqueçamos que Jesus foi o maior dos faróis que já nos visitaram aqui na Terra. Sua Luz continua a brilhar, apesar dos desatinos, das guerras, dos equívocos praticados em Seu nome. 

Nunca deixamos de influenciar o mundo ou seremos influenciados por ele. E assim caminha a humanidade..."


(Maria Cristina Tanajura)

sábado, 15 de setembro de 2012

Resista um pouco mais...


Resista um pouco mais...


Há dias em que temos a sensação de que chegamos ao fim da linha.
Não conseguimos vislumbrar uma saída viável para os problemas que surgem em grande quantidade.
Com você não é diferente. Você também faz parte deste mundo de provas e expiações. Desta escola chamada terra. E já deve ter passado por um desses dias, e pensado em desistir...
No entanto vale a pena resistir...

Resista um pouco mais, mesmo que as feridas latejem e que a sua coragem esteja cochilando.
Resista mais um minuto e será fácil resistir aos demais.
Resista mais um instante, mesmo que a derrota seja um ímã... Mesmo que a desilusão caminhe em sua direção.
Resista mais um pouco mesmo que os pessimistas digam para você parar... mesmo que sua esperança esteja no fim.
Resista mais um momento mesmo que você não possa avistar, ainda, a linha de chegada... mesmo que a insegurança brinque de roda a sua volta.
Resista um pouco mais, ainda que a sua vida esteja sendo pesada na balança dos insensatos, e você se sinta indefeso como um pássaro de asas quebradas.

As dores, por mais amargas, passam...
Tudo passa...
A ilusão fascina, mas se desvanece...
A posse agrada, porém se transfere de mãos...
O poder apaixona, entretanto, transita de pessoa.
O prazer alegra, todavia é efêmero.
A glória terrestre exalta e desaparece.
O triunfador de hoje, passa, mais tarde, vencido...

Tudo, nesta vida, tem um propósito...
A dor aflige, mas também passa.
A carência aturde, porém, um dia se preenche.
A debilidade física deprime, todavia, liberta das paixões.
O silêncio que entristece, leva à meditação que felicita.
A submissão aflige, entretanto fortalece o caráter.
O fracasso espezinha, ao mesmo tempo ensina o homem a conquistar-se.
A situação muda, como mudam as estações...
O verão brinca de esconde-esconde com a brisa morna, mas cede lugar ao outono, que espalha suas tintas sobre a folhagem.
O inverno chega e, sem pedir licença, congela a brisa e derruba as folhas.
Tudo parece sem vida, sem cor, sem perfume...
Será o fim? Não! Eis que surge a primavera e estende seus tapetes multicoloridos, espalhando perfume no ar e reverdecendo novamente a paisagem...

Assim, quando as provas lhe baterem à porta, não se deixe levar pelo desejo de desistir... resista um pouco mais.
Resista, porque o último instante da madrugada é sempre aquele que puxa a manhã pelo braço...
E essa manhã bonita, ensolarada, sem algemas, nascerá para você em breve, desde que você resista.
Resista, porque alguém que o ama está sentado na arquibancada do tempo, torcendo muito para que você vença e ganhe o troféu que tanto deseja: a felicidade...

Não se deixe abater pela tristeza.
Todas as dores terminam.
Aguarde que o tempo, com suas mãos cheias de bálsamo, traga o alívio.
A ação do tempo é infalível, e nos guia suavemente pelo caminho certo, aliviando nossas dores, assim como a brisa leve abranda o calor do verão.
Mais depressa do que supõe, você terá a resposta, na consolação de que necessita.
Por tudo isso, resista... e confie nesse abençoado aliado chamado tempo.


(Redação Momento Espírita)