sábado, 29 de maio de 2010


A Música da Vida

Qual a importância da música em sua vida?

Música é uma seguida combinação de notas, cada uma significando um som e todas, em suas frases e sua melodia, construindo essa harmoniosa sensação de beleza, de paz e de sensibilidade.

A música suave e harmoniosa é como uma higiene mental, que alivia as tensões, tranquiliza o espírito, relaxa os nervos cansados e nos conduz a doce meditação do que há de mais belo e puro na natureza.

A música pode fazer milagres!
Quando estiver triste, ouça uma música alegre!
Quando estiver cansado, ouça uma música suave, relaxante!

Ouça belas músicas, pense na vida e procure ser sempre uma pessoa melhor do que já é!
Sempre há algo em nossa vida que precisamos melhorar!
Não somos perfeitos e jamais o seremos, mas não custa ser melhor!

(Cirinita Schwingel Silva)

Há uma luz em você!
O mundo do "EU", é o da essência, do amor, da alegria, da paz, da verdade, da luz.

É de sua natureza fecundar, vivificar, alegrar o mundo da expressão, que você estampa no rosto.

A luz que brota do seu campo interior é que ilumina o seu caminho no plano da matéria, dos problemas, dos sonhos.

Caminhe firme! Siga na direção da vitória! Você tem tudo para ser bem sucedido!

Sentir-se portador de luz interior é caminhar seguro!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

O Homem e a Natureza

Ao romper do dia, sentei-me numa campina, travando conversa com a Natureza,

enquanto o homem ainda descansava sossegadamente das dobras da sonolência.

Deitei-me na relva verde e comecei a meditar sobre estas perguntas:


- Será a Beleza Verdade? - Será Verdade a Beleza?


E, em meus pensamentos, vi-me levado para longe da Humanidade.

Minha imaginação descerrou o véu de matéria que escondia meu íntimo.

Minha alma expandiu-se e senti-me ligado à Natureza e a seus segredos.

Meus ouvidos puseram-se atentos à linguagem de suas maravilhas.

Assim que me sentei e me entreguei profundamente à meditação,
senti
uma brisa perpassando através dos galhos das árvores e percebi
um suspiro,
como o de um órfão perdido.

"Por que te lamentas, brisa amorosa?" perguntei.

E a brisa respondeu:

"Porque vim da cidade, que se escalda sob o calor do sol, e os germes
das pragas e contaminações, agregaram-se às minhas vestes puras. Podes culpar-me por lamentar-me?"

Mirei depois as faces de lágrimas coloridas das flores e ouvi seu terno lamento... E indaguei:
"Por que chorais, minhas flores maravilhosas?"
Uma delas ergueu a cabeça graciosa e murmurou:

"Choramos porque o homem virá e nos arrancará e nos porá à venda
nos mercados da cidade". E outra flor acrescentou: "À noite, quando estivermos murchas, ele nos atirará no monte de lixo. Choramos porque a mão cruel do Homem nos arranca de nossas moradas nativas."

Ouvi também um regato lamentando-se como uma viúva, que
chorasse o filho morto,
e o interroguei:

"Por que choras meu límpido regato?"

E o regato retrucou:

"Porque sou compelido a ir à cidade, onde o Homem me despreza
e me rejeita pelas bebidas fortes e faz de mim carregador de seu lixo, polui minha pureza e transforma minha serventia
em imundície."


Escutei, ainda, os pássaros soluçando e os interpelei:

"Por que chorais, meus belos pássaros?"

E um deles voou para perto, pousou na ponta de um ramo e justificou:
"Daqui a pouco, os filhos de Adão virão a este campo com suas armas
destruidoras e desencadearão uma guerra contra nós, como que fossemos seus inimigos mortais.
Agora, estamos nos despedindo uns dos outros, pois não sabemos
quais de nós escaparão
à fúria do Homem.
A morte nos segue aonde quer que vamos."

Então o sol já se levantava por trás dos picos da montanha e coloria os topos das árvores,
com auréolas douradas.
Contemplei tão grande beleza e me perguntei:

"Por que o Homem deve destruir o que a Natureza construiu?"

(Gibran Kahlil Gibran, em a Voz do Mestre)

A Fé Transporta Montanhas

A fé, divina inspiração
ultrapassa as dificuldades

O espírito pela compreensão
supera todas as adversidades
com calma a luta irá enfrentar

Tem confiança, usando a razão
as montanhas irá transportar,
há humildade no coração

O poder magnífico da fé
é de origem universal

O trabalho no bem comum
é uma benção providencial

Sendo raciocinada é sincera
carrega a virtude da esperança

Não se abala com as quimeras,
traz sempre no peito a bonança
(Neneca Barbosa)

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Invasão do Coração


Entre! Entre sem bater. A chave está na porta. Entre... Invada este coração, percorra seus labirintos, desvende os seus segredos e amenize os medos. Medo este de se ferir. Entre... Ocupe os espaços vazios e abra todas as janelas para a felicidade. Mas se não puder ficar... não deixe cicatrizes no lugar, saia de mansinho, sem machucar e deixe a chave no lugar! (by Zaza)

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Gotas de Luz


Ore...
Quando seu coração sentir vontade.

Vigie...
Quando seus pensamentos se desviarem da luz.

Busque...
Quando seu espírito se sentir só.

Acredite...
Quando perder as esperanças.

Sinta...
Quando as palavras já não bastarem.

Pense...
Que para crer não é preciso ver,
Basta compreender e aceitar.

Reflita...
"Deus não é Deus confusão, mas sim de paz".
I Coríntios l4:26-40.

A BELEZA DA ALMA


Cuidados Preventivos

A dica é uma maquiagem simples no corpo,
para arrasar com todas as emoções da alma.
No rosto cuidados especiais, sorrisos sem culpas
camuflam todas as imperfeições.

Na cabeça, pensamentos despenteados e rebeldes,
precisam de uma boa hidratação,
palavras leves e soltas são uma ótima solução.

Com os olhos, muita atenção, olhar em outros olhos
ativa a circulação.
Para lábios, a opção é poesia em forma de beijo,
isto é perfeito e provoca sensação de bem estar.

Os braços não podem ser esquecidos, não tem erro,
massagens em forma de abraços é um adeus a flacidez do coração.

Para as mãos, acarinhar outras mãos, é uma maneira simples
de se garantir intensas emoções.

Com os pés, atenção dobrada, quem já experimentou sabe
e eu recomendo, tirá-los do chão e viajar nos sonhos
sem pagar pedágio, é fazer estripulia sem se sentir culpado,
é beber a vida sem se embebedar.
Mas cuidado, aqui você pode se viciar!

E para o resto do corpo, a minha sugestão é uma aplicação diária de
granulados de alegria, daqueles que esfoliam todas as células de
tristezas e raivas mortas, e abrem as portas para tudo que é bom,
nos encharcando de felicidade

(a.d.)

domingo, 23 de maio de 2010

Acredito nas Pessoas ...


Acredito nas pessoas que fazem o bem, se protegem do mal
apenas com um sorriso,uma palavra,um beijo,uma oração...

Pessoas que atravessam as ruas sem medo da luz que existe nelas.
Caminham firmes e levantam a cabeça em momentos de puro desespero...

Pessoas que erram mais do que acertam, aprendem mais
do que ensinam e vivem mais do que sonham...

Pessoas, simplesmente, pessoas, que nem sempre
tem certeza de tudo, mas acreditam sempre...

Transparentes, amigas, espontâneas, até mesmo ingênuas...

Que passam pela Terra e deixam suas marcas, suas lembranças,
que deixam saudade não apenas rastros...

Acredito nas pessoas...

(Breno Angellis)

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Enya - Caribbean Blue

Vida Imortal

QUERIA UM ABRAÇO HOJE!

De repente deu vontade de um abraço...
Uma vontade de entrelaço,
de proximidade, de amizade... sei lá...
Talvez um aconchego que enfatize a vida
e amenize as dores...
Que fale sobre os amores, que seja teimoso
e, ao mesmo tempo, forte.
Deu vontade de poder rever,
saudade de um abraço.
Um abraço que eternize o tempo
e preencha todo espaço
mas que faça lembrar do carinho,
que surge devagarzinho
da magia da união dos corpos,
das auras... sei lá...
Lembrar do calor das mãos,
acariciando as costas,
a dizer: "estou aqui".
Lembrar do trançar dos braços envolventes
e seguros afirmando:
"estou com você"...
Lembrar da transfusão de forças
com a suavidade do momento... sei lá...
abraço... abraço... abraço...
abraço... abraço... abraço...
abraço... abraço... abraço...
O que importa é a magia deste abraço!
A fusão de energia que harmoniza,
integra tudo, e que se traduz
no cosmo, no tempo e no espaço.
Só sei que agora
deu vontade desse abraço
Que afaste toda e qualquer angústia.
Que desperte a lágrima da alegria,
e acalme o coração
Que traduza a amizade,o amor e a emoção...
E, para um abraço assim,
só pude pensar em você...
nessa sua energia,
nessa sua sensibilidade,
que sabe entender o porquê...
dessa vontade desse abraço...
(Vinícius de Moraes)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Viva a vida


Faça como os passarinhos, comece o dia cantando.
A música é o alimento para o espírito.
Cante qualquer coisa, mesmo que desafinado, mas cante.
Ria da vida, dos problemas e até de você mesmo.
Ria das coisas boas que lhe acontecem, das besteiras que fez,
ria de tudo, para que todos possam se contagiar com a sua alegria.
Você vencerá todos os problemas, se você se convencer de que está bem,
e vai acabar acreditando e se sentindo bem.
O bom humor, assim como o mau humor, é contagiante e,
portanto, qual deles você escolhe?
Leia sempre coisas positivas, pois bons livros é a arte de aceitar a alma.
Encare suas obrigações com muita satisfação,
pois é muito maravilhoso, quando se gosta do que faz.
Ponha amor em tudo o que estiver ao seu alcance.
Não deixe passar as oportunidades que a vida lhe oferece.
Elas não voltam mais e, saiba que nenhuma barreira é intransponível,
se você estiver disposto a lutar,
bem como tenha certeza que para Deus nada é impossível.
Escute, converse e conquiste.
Exteriorize tudo, deixe que as pessoas saibam que você as estima,
as ama, precisa delas, principalmente os da sua família.
Amar é mais que tudo!!!

(gotas de paz)

domingo, 16 de maio de 2010

Missão - Chico Xavier e a mediunidade


Extraordinária pela sua complexidade e finalidade, e difícil, graças aos muitos problemas e obstáculos de toda a ordem, a tarefa de Chico Xavier, em plena era da tecnologia, é algo que impressiona e nos enche de alegria e júbilo, pois fomos testemunhas vivas, da maior e mais fecunda mediunidade de que se tem notícia em todos os tempos.
No momento em que o mundo material dava as ordens, onde a espiritualidade não tinha ainda despertado o interesse de quase ninguém, embora o Consolador prometido já estivesse entre nós desde 1857, em meio a preconceitos e perseguições gratuitas por parte dos poderosos da época; exatamente nesse cenário de intolerância e desrespeito ao direito de crença dos que não comungassem com a religião imposta até mesmo por instrumentos legais; eis que surge na pequena Pedro Leopoldo, a estrela que iria brilhar contra tudo e todos e vencer com sua canção de paz e caridade, os empecilhos que se lhes opusessem, pois que trazia em si a água proveniente da fonte límpida e pura das paragens superiores, da inesgotável fonte do Mestre de Nazaré, e que serviria para saciar a sede de incontáveis corações aflitos e angustiados, como outrora o próprio Mestre o fizera.
Tinha como marca registrada dos grandes arautos da boa-nova a disposição e a disciplina, a paciência e a humildade, o amor e a caridade... e sobretudo a cereteza de que o Mestre lhe dava respaldo no amparo por intermédio de inúmeras almas de escol, para que ele alcançasse como realmente alcançou o direito de hoje estar entre os eleitos do Senhor.
Enfrentando todos os tipos de preconceitos, das mentes ainda impregnadas pela imposição dogmática, Chico, dava início à sua magnífica caminhada pelos labirintos ainda tão sombrios e desacreditados da mediunidade, fazendo-se pouco a pouco instrumento de luz com a utilização dos seus incomparáveis recuros mediúnicos, na confirmação da imortalidade do espírito.
Fez uso dos instrumentos cuidadosamente preparados quando ainda se encontrava entre os Espíritos errantes, sem os quais não lograria êxito no trabalho a que se comprometera na Pátria Espiritual. Apurou sua sensibilidade e investiu todos seu aprendizado na espiritualidade anterior à sua reencarnação, para melhor utilizar os recursos parapsíquicos, na capacidade de concentração e captação das frequências espirituais de cunho superior.
Investido de uma invulgar e notória fidelidade no compromisso com as coisas do Espírito, levou com profundo senso de responsabilidade as três principais características que lhe sobressaíam, naturalmente, que eram: a) entender que seu trabalho era uma missão por ele aceita perante os superiores da Vida Maior; b) a profunda capacidade de doação sem preocupação de receber a devida recompensa e; c) a aceitação de seus limites e possibilidades, sem desejar ser privilegiado por sua obra.
Receitava, a quantos lhe pedissem orientação para acalmarem seus sofrimentos, apenas um único remédio capaz de minimizar todos os males do Espírito: o trabalho.
Executando sua missão, com perseverança e fé, não se permitiu influenciar por pessoas, idéias preconcebidas ou fatos isolados, procurando entender que tudo que lhe fora concedido pela Misericórdia Divina, era para ser distribuído com seus irmãos em humanidade, sem qualquer tipo de proveito próprio e, das 412 obras de sua faculdade mediúnica, jamais se beneficiou com um níquel qualquer; ao contrário, recebeu como pagamento a suspeita, agressões, desrespeito... Sem a preocupação de revidar, procurou sempre estar munido de vigilância estóica, a fim de permanecer indene às agressões de adversários e aos encômios de amigos.
Foi vítima de inúmeras investigações de repórteres, movidos pelo sensacionalismo e desejo de desmentir e lançar dúvidas, sobre sua incrível faculdade mediúnica, e a todos atendeu com cordialidade e respeito e, pouco a pouco, os fenômenos mediúnicos que deu testemunho, arrancou dos céticos a admiração e provou a todos que a Doutrina Espírita, formulando questões momentosas, genéricas e específicas, sobre as várias e incontáveis inquietações em que se aturdia, o Espírito humano não tem de temer a nada e a ninguém.
Contou como sempre com a ajuda dos abençoados Mensageiros do Mundo Espiritual, mais particularmente de seu Guia Espiritual o benfeitor Emmanuel, que não cansaram de lhe dar esclarecimentos pouco comuns, em face da estrutura e profundidade das tarefas da mediunidade com Jesus.
Atendeu aos seus labores espirituais, estabelecendo uma perfeita metodologia para o seu exercício, procurando seguir os conselhos dos seus instrutores da espiritualidade, não se admitindo exceção ou fora do alcance das forças inimigas da Luz, não se autopromovendo em quaisquer situações de relevo ou comando, fazendo-se sempre exemplo de simplicidade e humildade, procurando antes de tudo pautar sua conduta em plano de nobreza invulgar, especialmente se considerarmos a época em que a presunção, a fatuidade e o orgulho descabido mais se exaltavam.
Gentil e acessível, não se fez vulgar nem comum a pretexto de uma popularidade que, afinal, nunca lhe interessou, sabendo exatamente, qual a missão que lhe cumpria desempenhar, ateve-se ao ministério com reta austeridade e incomum disciplina.
Discípulo de Jesus, teve em Kardec seu grande fanal, onde buscou o roteiro seguro para a luta que teve de travar contra a frivolidade, fazendo sempre da elevação de propósitos seus argumentos contra a perseguição gratuita da ignorância dominante sobre os fatos mediúnicos.
Numa época dominada pelas superstições, crendices e lendas, quando o assunto eram os Espíritos desencarnados tidos até então por demônios; por muitos temidos ou envoltos nas confusas práticas da magia e do absurdo, buscou nas lições do Codificador demonstrar com segurança tratar-se, simplesmente, das almas dos homens que viveram na Terra, que prosseguem além do corpo pensando e obrando conforme suas aquisições morais.
Hoje a comunidade espírita de todo o planeta, reconhece seu valor, e até mesmo os não espíritas, também, têm dado inúmeros exemplos de reconhecimento ao seu trabalho, e por essas e outras considerações muitos seguidores de outras correntes religiosas vieram se alistar nas fieiras da filosofia espírita, encontrando as respostas tão buscadas e jamais respondidas pelas suas anteriores religiões.
"Por essas e muitas outras demonstrações de amor e respeito por Deus e por seus irmãos em humanidade, podemos dizer sem medo de errar, que Chico, é hoje uma Estrela a enfeitar as paragens espirituais com seu incomum exemplo de dedicação ao Mestre de Nazaré".
(Francisco Rebouças, publicado na Revista Internacional de Espiritismo/abril de 2010)

Perdas


"Mas ajuntai tesouros no céu ..." - Mateus, 6:20

Mesmo guardando prudência e moderação, serás convocado ao aprendizado do desapego.

Na condição de usufrutuário passageiro das bênçãos que te felicitam, não obterás certidão de posse sobre tais recursos.

Não existem perdas reais no universo, porque nada pertence a ninguém.

Quando a vida te convidar às necessárias renovações, ainda que sofras a dolorosa cirurgia do desprendimento, mantém-te no controle de ti mesmo.

Hoje é o filho que muda, amanhã um vínculo que parte, depois é um bem surrupiado, mais além um emprego que é retirado.

Não são perdas, são mudanças.

Guarda calma e equilíbrio para que entendas o "recado" de Deus a ti endereçado nas alterações que a existência te conclama.

As dores das perdas são preciosos receituários contra as ilusões que carregamos.


Ermance Dufaux
Mensagem psicografada pelo médium Wanderley Soares de Oliveira.

Felicidade e Merecimento


"(...) e o que semeia em abundância, em abundância também ceifará" - II Coríntios, 9:6
Anote alguns caminhos para construir a tua felicidade:

A superação das culpas.
O perdão incondicional.
O desapego de bens e afetos.
A consciência tranqüila.
Amar o trabalho.
Descansar somente o necessário.
Interessar pelo esclarecimento.
Aprender a gostar de si.
Erguer a caridade em teus passos.
O bem do próximo.
O conhecimento de si.
A fé no futuro.
A paciência com o progresso pessoal.
A instrução libertadora.
O gesto incomum pelo bem de alguém.
O esquecimento das quedas.
A vitória sobre os impulsos.
A tolerância incondicional com todos.
A fraternidade nas relações.
O dever bem cumprido.
A ausência do desânimo.
O otimismo incansável.

Como vemos, felicidade não é acontecimento de sorte ou escolha do destino.
É uma conquista do esforço permanente pela melhoria de si mesmo perante o próximo, a vida e Deus.

Felicidade é a soma do bem que semeamos, portanto, uma questão de merecimento.


Ermance Dufaux
(psicografia do médium Wanderley Soares de Oliveira)

sábado, 8 de maio de 2010

Conduta Verdadeira


Não há mérito quando se mantém paz somente entre corações pacíficos.
Exercite a segurança entre belicosos.
Não é vantagem amar somente cordatos e bons.
Atenda aos odientos e viva cristãmente entre eles.
Não é atestado de fé conservar a alegria entre os que gozam saúde.
A verdadeira felicidade se comprova, vivendo-se com júbilo entre enfermos e infelizes.
Não demonstra retidão quem se porta dignamente junto a caracteres austeros.
Viva com dignidade ao lado de defraudadores.
Não produz excepcionalmente aquele que trabalha vivendo com trabalhadores.
Trabalhador real é quem labora entre preguiçosos.
Não reclamar quando todos reclamam, embora com razão.
Não maldizer quando a cólera se alastra, apesar do desejo de imprecar.
Não agredir quando a luta se trava, mesmo com oportunidade de o fazer.
Ser inocente e superar injúrias.
Não fazer mal nem com o corpo, nem com a língua, nem com o pensamento.
Abster-se de toda violência com fracos e fortes, seguindo o rumo certo.
Guardar a lealdade, quando o oportunismo oferece fácil triunfo, é despertar para a luz da verdadeira sabedoria, encontrando-se com o alimento divino da integração no bem, sem qualquer recompensa do mundo para a própria satisfação.
Marco Prisco/Divaldo Franco
Glossário Espírita-Cristão

Salvação pela Fé


A fé é o maior tesouro da alma.
É a grande luz que ilumina nossos destinos, enriquece nossa inteligência e exalta o nosso coração.
A fé é o emblema da perfeição e a insígnia do poder.
Por isso, Jesus disse aos Seus discípulos: "Se tivésseis fé do tamanho de uma semente de mostarda, diríeis a esta amoreira: transplanta-te para o mar e ela vos obedeceria".
A fé é um cabedal que valoriza a alma, tal como o ouro no mundo valoriza o homem. Na esfera material o homem tem sido considerado pelo que tem. Na esfera espiritual cada um vale pela fé que possui.
Para se possuir legalmente bens materiais, na Terra, é necessário trabalho, raciocínio e esforço.
Para se adquirir a verdadeira fé também é indispensável o trabalho, o raciocínio, estudo e o esforço.
A prosperidade material é produto do trabalho.
A prosperidade espiritual é uma conquista do espírito humano.
O dinheiro facilita o bem estar físico.
A fé, por sua vez, felicita o homem, não só espiritualmente, mas também atinge o seu físico.
A fé não se compra nos templos de mercadores, nem nas feiras. Não se dá esmola, nem se adquire por herança.
A fé adquire-se especialmente pela aquisição de conhecimento.
Sobre esse assunto, Allan Kardec, deixou-nos o seguinte ensinamento: "fé verdadeira é a que pode encaraz a razão face a face, em qualquer época da humanidade."
Deus tem concedido aos homens as mais variadas bençãos, menos a fé.
Por essa razão, vê-se em todas as religiões, pessoas capazes de nos cativar pela bondade, maravilharem-nos por sua paciência, atraírem-nos pela sua caridade. Entretanto, facilmente notamos também nelas a ausência da verdadeira fé.
Por que? Porque a fé não se adquire sem estudo, sem trabalho, sem o exercício do livre-arbítrio. Muitos homens ainda encontram-se cegos em face da luz e surdos em relação aos sons.
São, ainda, pessoas sem fé.
Têm o entendimento encoberto pelos véus dos dogmas e dos preconceitos.
A fé verdadeira é poderosa, mas não se impõe pela força.
A cada um de nós foi dada a liberdade para buscar a verdade e abandonar o engano.
A fé é o alimento que sustenta o espírito.
É a água pura que dessedenta a alma.
E assim, como o comer e o beber exigem um esforço dirigido da vontade, também a fé não se conquista sem a aplicação de meios adequados a sua obtenção.
A fé é a sabedoria consubstanciada no amor que nos conduz a Deus.
Esta sim, a fé raciocinada, é a fé que efetivamente há de nos salvar.
Pense nisso!
Não é a repetição automática de palavras decoradas que nos aproximam de Deus.
Não é a oferta de valores e de bens que nos concederá a paz que tanto almejamos.
Não serão rituais, nem trajes específicos que garantirão às nossas almas o consolo e a orientação de que necessitamos.
Deus dispensa fórmulas para estender seus braços amorosos em nossa direção.
Somente a fé verdadeira, que deve ser conquistada por cada um de nós, individualmente e à custa de esforço e dedicação, é que nos oferecerá tais bençãos de forma efetiva e permanente.

Equipe de Redação do Momento Espírita , com base no livro Parábolas e Ensinos de Jesus, de Cairbar Schutel, pp 260-263, Casa Editora O Clarim, 13ª edição.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Mamãe querida, obrigada pelo seu amor!


Mamãe querida,

Neste teu dia, com carinho, quero te dizer:
Obrigada, por teres me trazido a este mundo,
Obrigada, por teres me dado seu amor,
Obrigada, por teres me criado e me educado.
Obrigada, por teres me guiado pelo caminho
do amor, do bem, da justiça e da caridade.
Obrigada, por teres me ensinado que com
Jesus Cristo, estou amparada.
Obrigada, por teres me dito um dia que tudo
que se faz, deve ser feito com amor e dedicação.
Obrigada, por me ensinar que não basta que se
diga boas palavras, mas que é preciso se dar bons exemplos.
Por tudo isso e muito mais, de coração, obrigada mamãe.
Obrigada, mais uma vez, por tudo que me destes e por tudo
que por mim fizestes a vida toda.
O seu amor e o seu carinho me fortificaram e me tornei
alguém melhor.
Eu te amo, mamãe, você é maravilhosa!
Com carinho e muito amor, te desejo um
Feliz Dia das Mães.

Sua filha
Macili

domingo, 2 de maio de 2010

O Bom Dia


Mesmo que te surjam contratempos, afirma hoje, com convicção:
Este dia é bom. Nele vejo condições de bem pensar e agir.
Cada hora, cada minuto é abençoado e precioso.
Deus, que me vê e protege, dá-me este dia
para que eu progrida, e seja feliz.
Assim, farei das dificuldades um caminho para o meu equilíbrio,
do nervosismo um meio de obter a calma,
e das desavenças uma força para a paz.
Estou pronto para amar, descobrindo soluções,
e conviver com pessoas difíceis.
Dize isso para ti, pois, se dependes dos dias e das suas ocorrências,
mais eles dependem de ti e são como sejas ou faças .
O dia é tua fisionomia.
O dia é bom para quem é bom para si mesmo .