sábado, 30 de março de 2013

Reflexão...


Manuel Bandeira e Tecendo Idéias...




Retirei do blog Tecendo Idéias este encanto...


"E a vida vai tecendo laços quase impossíveis de romper: 
Tudo o que amamos são pedaços Vivos do nosso próprio ser." 
                                               (Manuel Bandeira) 

 *********

Trouxe o poeta porque ele menciona a teia da vida, que tece laços afins, 
intimamente ligados às partes que nos compõem. 

São esses "pedaços" de que somos feitos que tecem nossas relações, 
elegem nossos afetos e produzem a obra que é nossa existência. 

Tecer ideias é buscar a compreensão de toda essa natureza humana, 
tão perfeitamente composta, harmonizando as emoções indeléveis, procurando 
o fio que começou a costura invisível de nossas vidas. 

Alguns laços se eternizam nesse enredo escrito pelas nossa escolhas, cujas marcas 
bordam na alma os significados que dão sentido a esta estadia breve 
neste espaço chamado vida!


A DIVINA ORDEM



Pensamentos e palavras têm um grande poder de nos fazer mais, ou menos felizes. Há uma frase em particular que me tranquiliza muito, quando penso nela, principalmente em situações confusas e preocupantes: Tudo está na Divina Ordem!

Na verdade, quando digo isto a mim mesma, sinto-me em paz de repente. Por saber que o Amor Divino está regendo a tudo, mesmo o que nos pode parecer caótico e fora de foco. E nos dias de hoje, quanta coisa está assim.
As horas correm, tudo se modifica vertiginosamente, parece que não vamos dar conta e quando mal acordamos, já está na hora de dormir novamente.

Mas tudo obedece ao Maestro Divino e não há com o que se preocupar. Vivendo o presente de forma consciente, podemos ter a certeza de que iremos para onde precisarmos e chegaremos lá no momento que tiver que ser.
E quando falo esta frase pra mim, parece que o que estava desarrumado se organiza em minha consciência. Como é importante a gente procurar ter crenças corretas e positivas!

Enquanto tudo em torno de nós se modifica e segue o seu curso, em nós existe um mundo particular que pode ser tranquilo e organizado, independente do que estiver acontecendo fora. Precisamos testar isto e cada vez mais procurar nos centrar na Fonte de Luz que temos em nós, que é nosso porto seguro, nosso ninho amoroso.

Se continuarmos a viver apenas focados no que acontece ao nosso redor, iremos certamente nos perturbar bastante, pois como sabemos, habitamos um planeta escola onde convivem seres em vários níveis de consciência e evolução. Precisamos compreender isto, para aceitarmos melhor seja lá quem for que chegue no nosso caminho. Sua visão da vida pode diferir muito da nossa, mas há alguma razão para ter aparecido e feito contato conosco. Com ele vamos aprender, conosco ele também o fará, se estivermos abertos pra isto.

Apesar de tantas mudanças, de tantas diferenças entre todos nós, nem uma folha cai de uma árvore sem o consentimento do Pai - disse-nos Jesus! Logo, tudo está na Divina Ordem!
Estar bem focado no presente e buscando interagir com a realidade externa a nós, manifestando o que somos, é nossa maior contribuição como filhos de Deus únicos - diferentes de todos os outros.

Precisamos aceitar as diferenças, as divergências, as contradições, na certeza de que estamos no lugar certo, pois tudo está na Divina Ordem! Se o que vemos nos parece um tanto destorcido, busquemos em nós a paz que gostaríamos que já existisse no mundo todo. Desta forma, estaremos fazendo o maior bem possível! Sem alardes, sem guerras e principalmente sem violências.

Podemos, como humanidade, demorar mais ou menos tempo, para chegarmos a um porto feliz e harmonioso - mas CERTAMENTE LÁ CHEGAREMOS UM DIA E PARA LÁ ESTAMOS CAMINHANDO.

Na certeza de que o Divino Arquiteto do Universo a tudo há de prover, no momento que seja preciso, vamos buscando aprender sobre nós mesmos e tentando aceitar o que os outros têm que os torna diferentes de nós.

Fazemos parte de um imenso quebra-cabeça onde nosso lugar existe e só pode ser ocupado por cada um de nós. Esta é a nossa real importância como criaturas criadas pelo Amor que a tudo rege.

Estudando a história da raça humana, vemos quanto mudamos através dos tempos, à custa de muita dor! Mas percebemos, também, que Jesus encarnou entre nós pra nos ensinar a viver segundo o Amor. Muitos estão tentando isto, muitos ainda sequer acreditam que seja necessário. Mas está tudo na Divina Ordem e vai acontecer. Aos trancos e barrancos, feridos, doentes, livres, acorrentados, como for, um dia chegaremos numa situação de muita paz e harmonia, quando o céu se instalará finalmente neste planeta tão lindo e principalmente preencherá todo o nosso Ser.

Nesta caminhada vamos todos nós. Acreditemos ou não, nossa meta é a mesma. Não importa o tempo que levemos, lá chegaremos.


Fonte: Somos Todos Um, por por Maria Cristina Tanajura - tinatanajura@terra.com.br

Você é refém do seu passado e vive sofrendo...



Você viveu uma linda história de amor (ou nem tão linda assim), mas o fato é que não consegue se desvincular do passado, despedir-se do que não deu certo e botar a vida pra andar? Ainda está preso ao que já acabou, patinando sem sair do lugar?

Bem, é claro que viver o luto pela morte de um relacionamento faz parte! Sofrer é até saudável quando a dor serve como elaboração e análise do que houve - erros, acertos e aprendizados. Desfazer um laço, até quando parece mesmo a melhor solução, não é uma das mais prazerosas situações que podemos viver, é verdade!

Mas também é verdade que você, bem lá no fundo, sabe que se manter atolado na dor, no desespero, na lamentação e no lugar de vítima não são opções para quem quer realmente ficar bem. Chorar e doer tem que ter limite! Tem que ter fim. O próximo passo é a porta para o recomeço!

Como? Sei que não é fácil e as respostas não estão disponíveis em sites de busca ou livros de autoajuda. Esses são ferramentas que até podem ajudar no apontamento de uma direção, mas as respostas, a forma de recomeçar, o jeito de reconstruir a vida e o chão a se seguir começam dentro de você. São habilidades que já estão aí e você precisa, pra recomeçar, lançar mão delas. O primeiro passo é você quem dá. Mais ninguém.

Dicas? Claro, existem várias! Uma delas é viver um dia de cada vez. Só por hoje. Só agora. Só o presente, este momento. Assim, fracionando o tempo, fica infinitamente mais fácil. Só o próximo passo, mas sabendo em qual direção você quer ir, aonde quer chegar. Tendo um plano, um propósito, uma meta.

Recaídas? Sim, provavelmente terão! Fazem parte! Mas cada vez mais espaçadas. Cada dia um pouquinho mais forte, um pouquinho mais lúcido e seguro. Um pouquinho mais perto do melhor que está por vir.

Mas uma coisa é certa: ficar preso ao passado é sinônimo de culpa, mágoa, arrependimento e tristeza. Assim como se tornar refém do futuro é sinônimo de medo, ansiedade, insegurança e incerteza. Por outro lado, o passado pode ser mestre quando você o reconhece como tal, aprende com ele e se torna dono e autor de sua história, suas lembranças, seus aprendizados e suas escolhas. Do mesmo modo com o futuro, quando você usa esse tempo que só existe em sua fantasia e o transforma em sonhos, planos e esperança.

De resto e de verdade, só temos o agora. É aqui que está a paz e as reais possibilidades. É o único tempo em que você pode fazer, agir. Em nenhum outro há alguma chance de você existir. Então, se quer deixar de ser refém e parar de sofrer por algo que já era, mude o foco. Escreva a próxima página do livro de sua vida. O que deseja contar nela? O que precisa fazer para torná-la muito além de um conto de fadas para ninar crianças?

Por fim, sinto muito se você esperava encontrar aqui alguma resposta curta, direta e objetiva para a solução da sua dor. Sinto se você esperava que eu indicasse o culpado por você estar se sentindo assim, colocando você no lugar de impotente e injustiçado. A vida definitivamente não funciona assim. Desde que o mundo é mundo, pessoas sofrem e doem, mas também desde que o mundo é mundo, elas só superam tudo isso depois de superarem, antes, a si mesmas. E se tantas podem, por que você, justo você, não poderia?

Sim, você pode e nem precisa ser sozinho. Para isso, o Universo nos encheu de facilitadores: amigos, cursos, colo das pessoas que nos amam, profissionais, bolos de chocolate, livros, flores, mar, canto dos pássaros, sol, lua, estrelas, entre outros. E se você ainda não encontrou nada disso ou tudo isso lhe parece pouco demais, abra os olhos e acorde!

Lembre-se: o mundo não vai parar até que você faça isso. Cada dia perdido é, de fato, mais um dia perdido! Então, comece logo, comece agora: é pra frente que se anda e que se vive! E só pra não dispensar a sabedoria popular, "quem vive de passado é museu"!





:: Rosana Braga ::
Fonte: Somos Todos UM.

quinta-feira, 28 de março de 2013

TRÊS ATITUDES



Na sociedade:
O egoísmo faz o que quer.
O orgulho faz como quer.
O bem faz quanto pode, acima das próprias obrigações.

No trabalho:
O egoísmo explora o que acha.
O orgulho oprime o que vê.
O bem produz incessantemente.

Na equipe:
O egoísmo atrai para si.
O orgulho pensa em si.
O bem serve a todos.

Na amizade:
O egoísmo utiliza as situações.
O orgulho clama por privilégios.
O bem renuncia ao bem próprio.

Na fé:
O egoísmo aparenta.
O orgulho reclama.
O bem ouve.

Na responsabilidade:
O egoísmo foge.
O orgulho tiraniza.
O bem colabora.

Na dor alheia:
O egoísmo esquece.
O orgulho condena.
O bem ampara.

No estudo:
O egoísmo finge que sabe.
O orgulho não busca saber.
O bem aprende sempre, para realizar o melhor. 
 

O egoísmo e o orgulho são dois corredores sombrios, inclinando-nos, em toda parte, ao vício e à delinquência, em angustiantes processos obsessivos, e só o bem é capaz de filtrar com lealdade a Inspiração Divina, mas, para isso, é indispensável não apenas admirá-lo e divulgá-lo; acima de tudo, é preciso querê-lo e praticá-lo com todas as forças do coração.
 

Emmanuel  & Francisco Cândido Xavier
Obra: Seara dos Médiuns


RISCOS...



"Rir é correr o risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e ideias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr  risco de fracassar.
Mas devemos correr os riscos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.
Somente a pessoa que corre riscos é livre!"


(Sêneca)

LIBERDADE




“Somos como jovens pássaros; ainda estamos aprendendo a voar. 

Arriscamos vôos de um galho para outro, mas ficamos na mesma árvore. 

Tememos perder o abrigo, por isso não voamos mais longe. 

Para ultrapassar os velhos limites da consciência só precisamos 
de duas asas: conhecimento e leveza. 

Abrir o cadeado do intelecto, com a chave do entendimento. 

Abandonar a preocupação e insegurança que imobilizam nossas asas 
e usar toda autonomia de vôo.” 



(Brahma Kumaris)

quarta-feira, 27 de março de 2013

LUZ DO DIA...


AS ÁGUIAS...




Alguma vez você já pensou onde vão as águias, quando a tormenta vem?

Onde é que elas se escondem?

Elas não se escondem!

Abrem suas asas que podem voar a uma velocidade até de 40 km/h, e enfrentam a tormenta.

Elas sabem que as nuvens escuras, a tempestade e os choques elétricos podem ter uma extensão de 30 a 50 m, mas lá em cima brilha o sol.

Nessa luta terrível, podem perder penas, podem se ferir, mas não temem, e seguem em frente...

Depois, enquanto todo mundo fica às escuras embaixo, elas voam vitoriosas e em paz, lá em cima.

Finalmente, as águias também morrem, mas alguma vez você achou por aí um cadáver de águia?

De galinha talvez, de cachorro ou de pombo, quem sabe até de um bicho do mato nessas extensas estradas de reserva ecológica, mas cadáver de águia você não encontrará.

Sabe por quê?

Porque quando elas sentem que chegou a hora de partir, não se lamentam e não ficam com medo.

Procuram com seus olhos o pico mais alto, tiram as últimas forças de seu corpo cansado e voam aos picos inatingíveis e aí esperam resignadamente o momento final.

Talvez é por isso que o profeta Isaías compara os que confiam no Senhor como águias.

Quem sabe, hoje você tem diante de si um dia cheio de desafios...

Alguns deles podem parecer impossíveis de ser vencidos, mas lembre-se: descanse no Senhor e passe o tempo com Ele e depois parta para a luta, sabendo que depois daquela tormenta, brilhará o sol.

Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas de águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão. (Isaías 40.31)


Paz e Luz!


(autoria desconhecida)

TESOURO INDIVIDUAL



Era costume, em tempos remotos, em períodos de guerras ou revoluções, enterrar dinheiro ou cofres de ouro, no recanto mais escondido de algum campo, a fim de os preservar.

Morrendo o dono do campo, ficava o tesouro depositado, às vezes por séculos, no fundo da terra, até que algum felizardo o encontrasse.

A lei romana estabelecia que um tesouro assim, sem dono conhecido, pertencesse ao dono do campo.
Conhecedor da lei, o Senhor Jesus, em uma de Suas parábolas, comparou o reino dos céus a um tesouro escondido em um campo. O homem que o encontra, cala-se e o oculta.

Cheio de alegria, vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo, a fim de se tornar o proprietário real do grande tesouro.

Também comparou o reino dos céus a um negociante que procura boas pérolas. Tendo achado uma pérola preciosa, vai, vende tudo quanto tem e a compra.

*  *  *

Em se falando de tesouros, já pensamos em quantos possuímos?

Os dois olhos que trazemos, brilhantes, na face risonha, são as janelas da alma que se abrem para o mundo, dia após dia, nos descortinando a beleza insuperável dos meses de ouro do verão, das tardes cinzentas das chuvas do outono e das manhãs geladas, do inverno.

Os dois ouvidos que nos foram presenteados por Deus nos permitem ouvir a orquestra da passarada e a sinfonia dos ventos; os acordes dos trovões e o tamborilar das gotas de chuva, ensaiando sua dança na terra seca.

Os dois braços fortes nos permitem carregar a doçura do filho junto ao peito, onde o coração pulsa ao compasso da alegria de ser pai, de ser mãe.

Braços que abraçam, que estreitam, que se alongam e recolhem nas mãos as flores miúdas para compor um ramalhete e ofertá-lo a alguém.

Mãos que escrevem poemas de amor, que retiram dos instrumentos musicais sonoridades que embalam corações e fazem sonhar. Mãos que plantam flores, que colhem frutos, que se estendem para estreitar outras mãos.

Duas pernas que nos conduzem aonde queiramos, a passos lentos, na cadência do passeio despreocupado; a passadas largas, no compasso da pressa que nos caracteriza as atividades do trabalho constante.

Somos donos de um corpo que nos permite o trânsito na Terra. Somos possuidores do tesouro inestimável da vida.

E todos os dias somos brindados com o tesouro das horas para que, aos acordes do tempo, possamos estudar, trabalhar, aprender, sorrir e brincar.

Não menosprezemos tanta riqueza, maltratando a preciosidade do nosso corpo. Não desprezemos os minutos, gastando-os em coisa nenhuma.

Não esperemos adoecer para descobrir a grandeza da saúde.

Não aguardemos que o tempo da vida física se esgote para nos darmos conta do grande tesouro que não aproveitamos.

Mais do que tudo: não nos esqueçamos de que somos um Espírito imortal, a caminho da perfeição.

*   *   *

Todos os homens, providos ou não de moedas e outros valores, são herdeiros do grande Rei, o Criador, que a todos oferta um Universo em expansão, onde se multiplicam as estrelas e outras tantas moradas do Espírito, em sua jornada evolutiva.


Redação do Momento Espírita, com base
no cap. XIII, do Evangelho de Mateus.

domingo, 24 de março de 2013

DEUS



"Deus é amor
Deus é paz,
Deus é esperança.
É o alento do aflito.
O Criador do Universo, da luz, do ar, da aliança.

Deus é a justiça perfeita
que emana do coração.
Ao amar quem ofende.
Ele é o próprio perdão...

Você pode sentir Deus pulsar... dentro do seu coração. 

(
Louise) 

Paz e luz.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Reflexão...


SOBRAS DA ALMA



Davi é uma das esculturas mais famosas do autor renascentista Michelangelo.

O trabalho, uma estátua de mármore que mede cinco metros e dezessete centímetros de altura, retrata o herói bíblico com realismo anatômico impressionante, sendo considerada uma das mais importantes obras desse período da História das artes.

A escultura imponente se encontra em Florença, Itália, cidade que, originalmente, encomendou a obra.

Michelangelo levou três anos para concluí-la, em 1504.

É fascinante perceber a habilidade dos grandes artistas, conseguindo enxergar numa grande pedra uma bela escultura.

Um deles, certa feita, relatou que ficou a fitar um grande bloco de mármore por horas e horas, até visualizar a estátua ali dentro. Depois, segundo contou, bastou tirar as sobras, desbastando a pedra, para que surgisse a escultura perfeita.

Inspirados na sabedoria dos grandes mestres, podemos levar esse entendimento para nossas vidas.
Imaginando que nossa alma é nossa grande obra, a grande escultura que precisamos aformosear, entenderemos que a técnica desses artistas é genial.

Primeiro, a análise demorada. Olhar para dentro da alma, conhecê-la. Penetrar em sua intimidade buscando encontrar-se.

É o conhecimento de si mesmo, a chave de todo progresso moral. A grande viagem para dentro do Espírito, procurando lá o que precisa de reforma, de melhoria.

Quais as nossas maiores imperfeições, nossas dificuldades? E quais também nossas habilidades, nossos potenciais?

Estabelecendo o que precisa ser retirado, encontrando as sobras da rocha do Espírito, começamos então o trabalho de esculpir a alma.

Retirar tudo que não é essencial, que não é nosso, que não faz parte da construção da nossa felicidade.

Remover os vícios, as mágoas, os grandes e pequenos ódios que fomos guardando ao longo das eras.
Retirarmos a poluição mental, os pensamentos de inveja, ciúme e revolta.

Removermos a tristeza e a depressão que já nos fizeram tão mal, que já nos fizeram desistir tantas vezes, soltando o cinzel das mãos por alguns momentos.

Alguns blocos podem ficar sem o trabalho do escultor por um longo período… Mas acabam por não resistir à ação do tempo, e voltam a pedir que o escultor continue… continue.

O processo pode ser doloroso, incômodo, assim como as investidas do artista, com suas ferramentas, contra o mármore.

As primeiras ações são as mais doloridas, pois o bloco ainda está intocado em várias partes. Retirar a alma da inércia espiritual não é nada fácil.

Porém, quanto mais vamos retirando, mais da nossa verdadeira essência vamos enxergando, e isso concede ânimo, energia, para não retardar o trabalho de escultura.

Após algum tempo, após algumas reencarnações, começaremos a vislumbrar a beleza de Davi no meio de tantos pedaços de pedra que foram vertendo da pedra bruta.

É assim que esculpimos a alma, nossa grande obra-prima, que inicia sua jornada na simplicidade e na ignorância, e que a devemos concluir na perfeição, na felicidade.

Nossa alma, nosso Davi, nossa grande obra!


Redação do Momento Espírita.
Em  19.2.2013.

sábado, 16 de março de 2013



Motivação para o Seu Dia



Hoje acordei para vencer.
A auto-mensagem positiva logo pela manhã,
é um estímulo que pode mudar seu humor,
fortalecer sua auto-confiança e,
pensando positivamente,
você reunirá força para vencer os obstáculos.

Não deixe que nada afete seu estado de espírito.
Envolva-se pela música: cante e ouça.

Comece a sorrir mais cedo.
Ao invés de reclamar quando o relógio despertar,
agradeça a Deus pela oportunidade
de acordar mais um dia.

O bom humor é contagiante; espalhe-o.
Fale de coisas boas, de saúde, de sonhos,
com quem você encontrar.
Não se lamente, ajude-se
e também ajude as outras pessoas a perceberem
o que há de bom dentro delas mesmas.

Não viva emoções mornas e vazias.
Cultive seu interior,
extraia o máximo das pequenas coisas.
Seja transparente e deixe que as pessoas saibam
que você as estima e precisa delas.

Repense seus valores e dê a si mesmo a chance
de crescer e ser mais feliz.
Tudo o que merece ser feito merece ser bem feito.
Torne suas obrigações atraentes,
tenha garra e determinação.
Mude, opine, ame o que você faz.

Não trabalhe só por dinheiro e sim,
pela satisfação da "missão cumprida".
Lembre-se: nem todos têm a mesma oportunidade.
Pense no melhor e espere pelo melhor.
Transforme seus momentos difíceis
em oportunidades.

Seja criativo, buscando alternativas e
apresentando soluções ao invés de problemas.
Veja o lado positivo das coisas e,
assim, você tornará seu otimismo uma realidade.

Não inveje, admire!
Seja entusiasta com o sucesso alheio
como seria com o seu próprio.
Idealize um modelo de competência
e faça a sua auto-avaliação para saber o que
ainda lhe falta para chegar lá.

Ocupe o seu tempo crescendo,
desenvolvendo sua habilidade e seu talento.
Só assim não terá tempo para criticar os outros.
Não acumule fracassos e sim experiências.
Tire proveito de seus erros
e amplie seus conhecimentos.
Dimensione seus problemas
e não se deixe abater por eles.

Você pode tudo o que quiser.
Perdoe.
Seja grande para os aborrecimentos,
nobre para a raiva, forte para vencer o medo
e feliz para permitir a presença
de momentos infelizes.

Não viva só para o seu trabalho.
Tenha outras atividades paralelas,
como os esportes e a leitura.
Cultive amigos.
O trabalho é uma das contribuições que damos
para a vida, mas não devemos jogar nele
todas as nossas expectativas e realizações.

Finalmente, ria das coisas à sua volta,
ria de seus problemas, de seus erros, ria da vida.

"Começamos a ser felizes quando temos
capacidade de rir de nós mesmos."


(Aristóteles Onassis)

Em Casa



O templo doméstico é uma benção do Céu na Terra, porque dentro dele é possível realizar o verdadeiro trabalho da santificação.

Aí temos o valioso passadiço da alma, em trânsito para as Esferas Superiores.

Nesse divino corredor para a Vida Celestial, a criatura encontra todos os processos de regeneração, de modo a aperfeiçoar-se devidamente.

É na consanguinidade, quase sempre, que o homem recebe as mais puras afeições, mas é igualmente nela que reencontra as suas aversões mais profundas.

Nossa alma é arrojada à organização familiar, no mundo, assim como o metal inferior é precipitado ao cadinho fervente.

Precisamos suportar a tensão elevada do clima em que estagiamos, a fim de apurar as nossas qualidades mais nobres.

Não vale fugir ou rebelar-se.

Retroceder seria retornar às sombras do passado e indisciplinar-se equivaleria relegar ao amanhã abençoadas realizações que o Senhor espera de nossa boa vontade ainda hoje.

Saibamos, assim, usar a prece e a serenidade, a compreensão e a tolerância, se desejamos reduzir o tempo do nosso curso educativo na recuperação espiritual.

Como alguns, aprendemos a servir valorosamente a muitos.

Redimindo-nos perante o adversário de ontem, nosso coração vitorioso circulará no grande entendimento da humanidade.

Se encontraste, em casa, o campo de batalha, em que sentes compelido a graves indenizações do pretérito, não te detenhas na hesitação ou na dúvida!

Suporta os conflitos indispensáveis à própria redenção, com o valor moral do soldado que carrega o fardo da própria responsabilidade, enquanto se desenvolve a guerra a que foi trazido.

Não te esqueças de que o lar é o espelho, onde o mundo contempla o teu perfil e, por isso mesmo, intrépidos e tranqüilos nos compromissos esposados, saibamos enobrecê-lo e santificá-lo.


Francisco Cândido Xavier / Emmanuel.

Folhas Secas



Ah! Se viver fosse fácil não teríamos tantas dores e problemas espalhados em todos os cantos do Planeta.

A dor visita a cada uma das pessoas com tarefas que as vezes, a primeira vista, parecem injustas demais, mas que acabam sendo necessárias para o Amadurecimento do ser Humano.


Problemas são como as folhas de uma árvore imensa que sempre vão cair, de uma maneira ou outra, num ciclo sem fim, o que muda é a forma como recolhemos essas folhas, ou como tratamos os problemas, pois muitas vezes deixamos as folhas acumularem-se pelo chão, sem dar importância devida para o monte que vai se formando, e quando vemos, as folhas já tomaram conta do chão, dos cantos, frestas e até dos quintais vizinhos.

Junte as folhas diariamente, cate seus problemas e resolva-os, removendo o que não serve mais, separando o que é importante e o que não é.
Folhas muito secas podem ser queimadas rapidamente, assim como os problemas pequenos, que muitas vezes damos importância demais, aumentando-os sem ao menos pensar em uma solução, paralisados pelo medo.

Não espere o Outono chegar e derrubar todas as folhas de uma vez, mantenha seu jardim da vida sempre limpo, cultive flores (otimismo), regue com bom humor, espalhe as sementes (caridade) por todos os jardins, e receba da própria natureza os lucros de sua dedicação: cheiro de terra molhada, cores e perfumes das flores, frutos que alimentam e paz que preenche o Espírito.

Problemas são folhas de árvores, você é o jardineiro e  Deus o semeador da vida, e a vida pede cuidados diários.
 
 
(Autoria desconhecida)

Descobrindo o Amor



Se queres descobrir o amor em teu ser,
primeiro observa o nascimento das flores sobre as pedras,
o nascimento da borboleta em seu casulo tão limitado...
Observa o sol nascendo e iluminando o que há pouco era só escuridão...

Se queres conhecer o amor,
observa o movimento gracioso dos ventos
por entre as flores e vê as sementes sendo lançadas
para outros solos, transformando-os, delicadamente, sem pressa...
Observa a generosidade com que a natureza te acolhe,
mostrando com seus movimentos a importância
de te sentires como ela te sente.

Se queres sentir amor,
olha para os teus irmãos com a disposição de, sem julgamento, vê-los como eles são...
Olha para ti e aceita o que vem do teu coração,
banhando teu ser de luz e confiança...

Se queres compartilhar o amor,
apenas estende tua intenção e ela chegará ao mundo e a ti retornará,
trazendo-te as bênçãos Daquele que sorri com tua conduta.

Se queres prosseguir com o amor,
procura viver de acordo com as dádivas que te foram dadas...
Apenas caminha por entre os percursos que para ti já estão preparados e vai, vai com tua luz, iluminando o que parece ser escuro,
respeitando cada ser que o teu caminho acolher,
compartilhando o teu conhecer, a tua alegria e a tua integridade enquanto Filho de Deus.